NAVEGUE PELO BLOGUE

18 de novembro de 2010

O ÚLTIMO SOBREVIVENTE DA FUNDAÇÃO DO NUN´ÁLVARES E SÓCIO Nº1 DA A.D. FAFE



Albino Castro Guimarães, com 95 anos de idade tem uma História de vida ligada ao Associativismo fafense, foi um dos sete fundadores do Grupo Nun’Álvares e é o sócio nº1 da Associação Desportiva de Fafe.

Albino Teixeira Castro Guimarães nasceu em 11 de Novembro de 1915, um ano depois do inicio da Grande Guerra. Numa altura em que Fafe, apesar das contingências, assistia a progressos importantes e via radiar da velha Rua de Cima, novas artérias salpicadas de belas vivendas, muitas delas de inspiração brasileira, mandadas construir por emigrantes de torna viagem que criaram riqueza em Terras de Vera Cruz, oferecendo a Fafe uma filantropia sem precedentes.
Mas o desenvolvimento desta Terra notou-se também ao nível da sociedade, mais instruída, beneficiando de algumas instituições de apoio social.
Foi neste ambiente de mudança que o jovem Albino cresceu até atingir os 17 anos de idade, altura em que foi convidado, juntamente com o seu irmão Eugénio, a fazer parte de uma organização juvenil de ideologia católica à qual deram o nome do Santo Condestável, Nun’Álvares. O Padre Domingos da Apresentação Fernandes foi o mentor e D.ª Maria Guimarães a primeira madrinha do Grupo. Um Grupo que na génese só aceitava rapazes e solteiros, casando tinham de abandonar a organização.
“No inicio o Grupo não tinha a grandiosidade que tem hoje, só se dedicava a actividades religiosas e a fazer alguns espectáculos de teatro que aconteciam no salão paroquial anexo à Igreja Matriz e por vezes no Salão Nobre da Casa do Santo Velho, propriedade do Dr. Miranda” referiu Albino Guimarães.



Pai de Albino Guimarães
Monárquico muito perseguido
pelos Republicanos.
O grupo começou com sete membros mas rapidamente outros jovens aderiram na expectativa de ocuparem o seu tempo livre numa actividade diferente já que na vila de então escasseavam os sítios de lazer.
A vida do jovem Albino, no Grupo, foi curta. Abandonou mesmo antes dos 23 anos, altura em que casou com Isaura de Queirós.
“Numa altura em que era Presidente do Nun’Álvares tive um aborrecimento com o Padre; Um dia o Manuel agrediu um colega e eu castiguei-o, privando-o de frequentar o Salão Nobre durante 15 dias. Acontece que ele regressou passados 3 dias afirmando ter autorização do Abade. Achei que foi uma atitude que desautorizava a Direcção e resolvi abandonar o Grupo”, confessou Castro Guimarães.
Albino Castro Guimarães é sobrinho/neto do grande benemérito, Comendador Albino de Oliveira Guimarães, um dos mais abastados «brasileiros» de torna viagem de Fafe, dos finais do séc. XIX.
Albino confessa nunca ter ligado muito à política, embora fosse nomeado Delegado da Causa Monárquica, por influência de seu pai Manuel Teixeira Castro Guimarães, monárquico convicto, muito perseguido pelos republicanos. Durante quatro anos foi vereador suplente da Câmara Municipal de Fafe; foi vinte e três anos Presidente do Sindicato dos Caixeiros e Presidente do Grémio do Comércio ao longo de nove anos.
Já casado, continuou ligado ao associativismo: foi sócio do Clube Fafense e fundador do Futebol Clube de Fafe. Na época existia também o Sport Clube de Fafe. Deu-se a fusão destes Clubes dando origem à actual Associação Desportiva de Fafe. Albino Guimarães, por sorteio entre os primeiros associados de ambas as equipas, manteve-se até hoje o sócio nº 1 da A.D. Fafe.

Trabalhou na farmácia Moura, nos estabelecimentos de fazendas de Jaime da Silva e José Cândido Mendes Andrade, para depois ser contratado pela antiga Casa das Lobas, onde permaneceu cinquenta e três anos.
Albino Guimarães com a bonita idade de 95 anos, tem uma lucidez invejável e uma história de vida dedicada ao trabalho e ao associativismo que, por seu lado, não o esqueceu, homenageando-o, no caso do Nun’Álvares todos os anos vai cantar-lhe os Reis como prova de amizade e carinho pelo último fundador vivo de um grupo com 78 anos de existência que já atingiu um elevado patamar no universo associativo de Fafe.

PUBLICADO TAMBÉM NO JORNAL "CORREIO DE FAFE, 12 NOVEMBRO 2010

Sem comentários: