NAVEGUE PELO BLOGUE

26 de fevereiro de 2011

SEDE DO RANCHO FOLCLÓRICO DE FAFE VAI SER REQUALIFICADA

Antigo Matadouro de Fafe



O Executivo Municipal de Fafe aprovou um apoio de 80 mil euros ao Rancho Folclórico de Fafe, para ajudar a custear as despesas de requalificação do antigo matadouro, actual sede deste grupo.
O valor total da obra está calculado em 268 mil euros. A comparticipação do Município é justificada por “tratar-se de uma obra de grande vulto que poderá trazer contributos para a vida cultural do concelho, nomeadamente para continuidade da recolha de música e tradições relacionadas com folclore, mas também para instalação de um Pólo Museológico centrado na Etnografia e actividades ligadas à agricultura”, referiu o Vereador da Cultura Pompeu Martins.


Fonte: Jornal “Correio de Fafe”25 de Fevereiro de 2011

5 comentários:

Filomena Magalhães disse...

Faço um apelo ao Vereador da Cultura Pompeu Martins,para não se esquecer das Bandas Filarmonicas.
Só de ver o estado em que se encontra a sede e as condições do predio, se percebe que muitos documentos devem estar estragados. para não falar nos instrumentos.
Partituras antigas copias feitas à mão fotografias e outros documentos.
É preciso ver o estado desse patrimonio que é de todos nós em especial da Banda de Golães que é mais antiga e está mais desprotegida.

Anónimo disse...

Faço um apelo ao Vereador Pompeu Martins, para não se esquecer das Bandas Filarmonicas. Só de ver as condiçoes do predio, se percebe do estado em o arquivo se deve encontrar.Partituras copias antigas fotografias para não falar dos instrumentos.
Em especial a Banda de Golães pela sua antiguidade.Trata-se do nosso patrimonio cultural.

PRES. MÉDICI NOTÍCIAS disse...

Olá muito bom este blog! Estou seguindo, e convido a visitar o meu.... tem de tudo um pouco.. http://noticiapresiddentemedici.blogspot.com/

Anónimo disse...

Boa tarde, desconhecia este blog mas, fiquei extremamente contente quando alguém pela primeira vez deu atenção do estado do prédio (se é que se lhe pode atribuir esse nome), é uma imagem degradante que os responsáveis ainda não deram conta da situação. A senhora Filomena Magalhães tem toda a razão quando fala em partituras escritas à mão, partituras com um valor incalculável, alguns documentos históricos datam os anos de 1790 por aí fora... Eu, como músico da banda de golães, fico triste, uma banda fundada em 1770, a terceira banda mais antiga do País consegue ao mesmo tempo ter as instalações mais degradantes do País. Chove no arquivo onde estão inseridas as partituras, instrumentos com valor que rondam 7000 euros inclusive um quadro assinado pelo Dr. Jorge Sampaio quando a Banda obteve o estatuto de "Membro honorário da Ordem de Benemerência da Assembleia da Republica. Uma banda que tem sobrevivido com auto financiamento e com a ajuda da Câmara Municipal de Fafe, mas com tudo isto falta o essencial, umas instalações. Não discordo que tenham atribuído instalações ao Rancho Folclórico de Fafe, porque também mereciam, mas a banda de Golães sendo mais antiga das instituições locais tinha que primeiramente uma sede. Para finalizar, convidaria o Vereador da Cultura a visitar as instalações da banda de golães, e ver quando la estão crianças da escola da banda sem saneamento, agua potável, por vezes um cheiro horrível das casas de banho, os micróbios provenientes do arquivo que ja aconteceu ter cogumelos a nascer no tecto, a falta de segurança, o prédio não tem estabilidade. Agora imagine 30 crianças lá a correr de um lado para o outro... Quem la entra fica chocado, contado isto parece mais um filme, mas a realidade é mesmo essa. Uma opinião, por exemplo, seria temporariamente ceder o Espaço da "antiga academia" (o prédio mesmo em frente ao actual da banda de golaes), que se oferecesse uma sala para que os professores da escola da banda pudessem dar aulas num espaço melhor e com as condições mínimas. Esse prédio esta desocupado, esta a ficar degradado também e seria uma mais bem valia para todos.
é uma sugestão que deixo aqui.

Anónimo disse...

O meu nome é David Carvalho. Esqueci-me de me identificar.