NAVEGUE PELO BLOGUE

13 de abril de 2012

AUTARQUIA RESTAURA CAPELA E PONTES HISTÓRICAS


Capela de Santo André


No lugar de Sangidos, freguesia de Golães, existe uma capela barroca e uma ponte medieval, que estão a ser alvo de trabalhos de consolidação, restauro e requalificação da envolvente.
Os trabalhos iniciaram em Fevereiro passado e encontram-se bastante adiantados.

Por iniciativa do Município de Fafe, uma empresa sediada em Ponte de Lima, está a proceder ao restauro da Capela de Santo André e a trabalhos de consolidação na ponte de Sangidos.

A capela de Santo André, construída em finais do século XVII e terreno envolvente, foi, em tempos, adquirida pelo Município a um particular. Segundo a tradição, este templo terá sido edificado em local próximo onde existiu, no século XIII, uma “gafaria” (hospital para leprosos), destinada exclusivamente a homens.

O templo apresentava fortes sinais de ruína. A realização desta intervenção veio salvar e dignificar aquele espaço sagrado, repleto de simbolismo e história.

 Obra ascende a 61.562.72 Euros e tem financiamento comunitário

Para além do restauro da capela, será criado um passeio em redor da mesma e um canal de encaminhamento de águas para o leito do Rio Vizela que corre ali perto. Fonte Municipal revelou que o financiamento “apenas reserva cerca de 10% da verba para arranjos exteriores, reduzindo assim uma preconizada intervenção mais extença”.


Ponte de Sangidos


Uma ponte do século XIII

Esta ponte encontra-se referenciada em documentos antigos desde 1292, integrando uma importante via de ligação a Guimarães, conhecida desde 1258.
Erigida sobre o Rio Vizela, faz a ligação dos antigos lugares de Sangidos e Bouças das freguesias de Golães e Fafe respectivamente.
A ponte foi construída em alvenaria de granito de grão fino. As pedras das aduelas apresentam-se bem aparelhadas enquanto o paramento do pegão apresenta fiadas irregulares.
O seu tabuleiro, horizontal, assenta em dois arcos: um maior, de volta perfeita e outro, mais pequeno, de forma ogival, com doze siglas lapidares no seu intradorso.
O pegão central é de secção rectangular adossando um talhamar em prisma triangular a montante.
Aparentemente, esta parece ser uma reconstrução de uma ponte mais antiga contemporânea da via da segunda metade do século XIII.
No seu conjunto, o monumento é equilibrado e insere-se harmoniosamente na paisagem.


Pontão pedestre do Romeu


Pontão do Romeu também será contemplado

A poucas centenas de metros para jusante da ponte de sangidos existe um antigo pontão cuja data de construção se desconhece e representa um dos escassos exemplares do género em todo o concelho.
A mesma fonte do Município de Fafe afirmou ao Notícias de Fafe que esta ponte pedestre, construída com grandes lajes em granito, vai também ser alvo de uma intervenção, nomeadamente, “será limpa, consolidada e protegida com a construção de dois muretes”.







Sem comentários: