NAVEGUE PELO BLOGUE

4 de maio de 2012

Aboim Aldeia Pedagógica da Montanha e do Centeio






Centro Interpretativo foi inaugurado



Em 2008 a aldeia de Aboim viu o seu moinho eólico recuperado, ao mesmo tempo que criava o Museu do Moinho e do Povo de Aboim.
Em três anos, milhares de pessoas visitaram os equipamentos culturais, gozando de um excecional ambiente natural. A aposta inicial foi ganha e os responsáveis pelos destinos daquela freguesia quiseram ir mais longe. Durante cerca de um ano, trabalharam para a renovação do espaço museológico, transformando-o num atraente e moderno centro interpretativo. Aboim já entrou na rota do turismo cultural do Vale do Ave e tem vontade de continuar na senda do progresso sustentado através da criação de outros atrativos que chamem ainda mais turistas àquele belo recanto da montanha de Fafe. 

    


Inauguração oficial foi muito concorrida

Na tarde do passado sábado, dia 28 de abril, dezenas de convidados e grande parte da população da freguesia, concentrou-se no recinto da escola, desativada em 2006, para assistir à inauguração de um equipamento cultural renovado e do parque de merendas, onde faltava descerrar a placa.
A Câmara Municipal de Fafe fez-se representar ao seu mais alto nível com a presença de Laurentino Dias, Presidente da Assembleia Municipal, José Ribeiro, Presidente do Município e dos Vereadores do Ambiente e da Cultura e ainda Vereadores da oposição.
Após uma visita guiada por Jorge Miranda gestor da Etnoideia ao mesmo tempo que um grupo de crianças visitava o centro pela mão das simpáticas monitoras Lígia e Anne Sophie, os convidados juntaram-se no terreiro para proceder aos discursos introduzidos por António Novais, Presidente da Freguesia de Aboim, visivelmente satisfeito com o melhoramento que “é uma mais-valia para uma freguesia outrora pobre e esquecida, quase parada no tempo”.
Políticos e população estão convictos que esta aposta no turismo cultural vai atrair ainda mais visitantes que, num futuro próximo, podem contribuir positivamente para o desenvolvimento económico local.







 Intervenção custou 130 mil euros

Na velha escola que o Estado Novo mandou edificar em 1939, foram investidos cerca de 130 mil euros, comparticipados em 60% pelo PRODER, a restante verba foi suportada pelo Município de Fafe e pela própria Junta de Freguesia de Aboim.
A responsabilidade técnica da intervenção foi da Etnoideia a mesma empresa que fez a recuperação do moinho e concebeu o museu agora transformado.
O Centro é composto por quatro espaços distintos: a sala de exposição permanente, com atrativos painéis de leitura fácil, antigas peças relacionadas com a temática rural e dois pontos de multimédia onde passam vídeos de recriações de uma ruralidade perdida concebidos pela associação cultural Atriumemoria.
O “Teatrinho Mágico” é outro espaço onde o visitante assiste a uma banda desenhada criada em exclusivo para este Centro. Seguidamente entra-se numa pequena sala intencionalmente escura, onde podem ser testados os aromas da montanha e sentir, através do tacto, alguns objectos e produtos da terra.
Por fim a sala polivalente que funciona como ateliê, laboratório e local de diversão com variados jogos didáticos. Neste espaço, colorido e bem iluminado, miúdos e graúdos podem também meter a mão na massa e confecionar pão e bolachas.





Forno comunitário complementa o espaço cultural

No exterior foi construído um forno a lenha que pode ser utilizado pela população que ali pode cozer o seu pão.
Em dia de inauguração a azáfama era grande. Um grupo de mulheres da aldeia confecionaram broa de milho e bolo acompanhado de carne e sardinhas, como manda a tradição, para regalo dos muitos convidados que participaram num lanche que foi também um convívio onde não faltaram os acordes das concertinas e a voz do Povo que, a cantar manifestou o seu agrado pelos promissores destinos da sua Terra. 


  


NÃO PERCA A 8ª EDIÇÃO, JÁ NAS BANCAS



Sem comentários: