NAVEGUE PELO BLOGUE

23 de agosto de 2012

CIDADE HÁ 26 ANOS




Neste 23 de Agosto, Fafe comemora 26 anos de elevação a cidade, data da publicação em Diário da República (Lei nº 28/86).

O então deputado fafense António Marques Mendes foi o impulsionador da proposta, apresentada e aprovada no Parlamento em 3 de Julho de 1986.

Em reunião do executivo de 4 de Dezembro de 1985 foi emitido um parecer relativo à elevação da Vila de Fafe a cidade. O documento evoca razões de ordem Histórica (com algumas imprecisões), índices geográficos, demográficos, sociais, culturais e económicos. Segundo os censos de 1981 a Vila tinha 9871 habitantes, 2636 edifícios, 2753 famílias, 1967 alunos e 3936 fafenses na vida ativa. A cultura o desporto, a saúde, a assistência social, as comunicações, a segurança pública e as atividades económicas foram também sectores enunciados no referido parecer.




A título de conclusão: “Do que fica referido e atestado aos requisitos exigidos pelo art.º 13º da citada Lei, não resta a menor dúvida de que a Vila de Fafe preenche todos os requisitos para a sua elevação a cidade.

Parcídio Summavielle, líder autárquico neste processo disse ao jornal “Correio do Minho” de 4 de Julho de 1986: “Julgo que todos fafenses se devem sentir satisfeitos por esta decisão tomada na Assembleia da República que, a meu ver, representa o reconhecimento inequívoco do progresso que as gestões socialistas conseguiram imprimir ao concelho. A elevação da Vila a Cidade não possibilita, por si só, novos saltos para o concelho, é, antes de tudo, o reconhecimento de uma transformação que aqui se operou, pelo que devemos continuar a progredir”.


O 10º aniversário de elevação de Fafe a cidade teve as suas comemorações “que a muitos passaram despercebidas”. Nos dias 23 e 24 de Agosto de 1996 a Câmara Municipal promoveu uma sessão solene nos Paços do Concelho e no dia seguinte, atuações dos grupos folclóricos de Fafe, Arões, Silvares e o conjunto musical “Face B”.

Esta é uma data Histórica que, na realidade, tem passado ao lado da maioria dos fafenses, denotando, talvez, algum défice de bairrismo…

“Não se comemora porque está tudo em férias”… dizem alguns!

Sem comentários: