NAVEGUE PELO BLOGUE

6 de agosto de 2012

UMA CONFUSÃO TOPONÍMICA



Na freguesia de Golães existe um lugar, que apesar da sua ancestralidade e simbolismo, alguém, inadvertidamente, adulterou o seu topónimo. Trata-se do lugar de SANGIDOS, na confluência com o lugar de Bouças, freguesia de Fafe. O nome “São Gidos” das placas toponímicas não tem qualquer fundamento. Em primeiro lugar, não existe santo algum com o nome de “Gidos”. A tradição e a antiguidade do lugar, com raízes medievais, apontam inequivocamente para o topónimo SANGIDOS, de origem germânica, documentado nas Inquirições de 1258 como “Songilde” e “Sogilde”. SANGIDOS é um antropónimo que mergulha na Idade Média, correspondendo, possivelmente, ao nome do senhor daquelas terras onde no séc. XIII existiu uma Gafaria (hospital para leprosos) e por onde passava uma importante via documentada em 1258 com uma ponte românica sobre o Rio Vizela.



Na atualidade, o nome “São Gidos” coexiste com o topónimo SANGIDOS, um pouco há vontade de cada um! Certo é que o verdadeiro nome daquele lugar, carregado de história, é SANGIDOS e não de um presumível santo que não faz parte da Iconografia Cristã.

Fica aqui o esclarecimento e contamos que, um dia, seja reposto o nobre topónimo original nas placas e nos endereços… preservando-se uma memória com cerca oito séculos.






Sem comentários: