NAVEGUE PELO BLOGUE

7 de outubro de 2012

UMA VIAGEM PELA VILA DE FAFE EM 1922

«NOTICIAS LOCAES


Bilhetes postais ilustrados da vila de Fafe



Da Alemanha chegaram já á mão dos nossos amigos sr Alberico Silva e José Marques dos Reis, os explendidos bilhetes postais ilustrados da risonha vila de Fafe, em magnifica fotocopia em cores e em preto. Não se poupando as despezas, aqueles nossos amigos, editores dos lindíssimos postais, viram alfim coroados de bom êxito os seus esforços, pelo muito sinceramente lhes damos os nossos cordiais parabéns.

Preencheu-se, felizmente uma lacuna que há muito se sentia entre nós.

Fazia falta uma obra assim e todos os forasteiros em vão procuram ansiosamente levar desta terra tão linda e tão donairosa uma viva recordação dos seus edifícios dos seus jardins, de tudo, enfim, que a embeleza e que a torna aos nossos olhos e aos olhos dos que a visitam, tão saudosa e tão bela, que outra assim, com certeza, não se encontrará, neste nosso tão poético e verdejante Minho, ninho de rosas, berço de encantos, embalado de caricias, perfumado dos beijos do sol que a veste de arminhos e setins.

Vamos fazer um pálido relato dessa obra que muito é para louvar.



O aspecto do jardim público, com a sua melancolia ponte e o seu largo sonhador retratando o verde-negro da ramaria sobressai pela tonalidade das cores, um lindo entardecer, onde não falta o azul esbatido dum ceu de opala e o tom maguado da hora religiosa em que as arvores ouvem as confidencias dos passarinhos…



Um outro aspecto de jardim da Praça José Florencio Soares, é uma encantadora amostra dessa bela estancia a que o genio imaginativo e fecundo do Doutor José Summavielle Soares conseguiu dar um realce oriental, com as suas palmeiras levantadas em continência ao ceo azul contrastando com o claro escuro dumas arvores e dizendo tristezas Ás azáleas cor de rosa que sorriem de galas nas lareiras verdes dos canteiros. Ao fundo, como uma bênção, pregando caridades, o modelar Hospital da Misericórdia, espreitando como sentinela vigilante dos que sofrem, dos que padecem… Um primor este gracioso postal, a nosso ver, uma maravilha até!...



Dum lindíssimo efeito o postal do Hospital da Misericordia, amplo, largo, na sua majestade benfazeja, há poucos anos modificado porque passou por transformações que se impunham, e no qual veem muitos doentes de fora procurar remedios salutares para os males que os afligem e ondem raro não é encontram pronto e eficaz remédio e cura, é bem digno de ser visitado e admirado…

Os que não tiveram essa dita avaliarão pelo postal que o representa o quanto vale esse momento que honra e faz honra á memoria, por tantos títulos ilustres do parlamentar José Cardoso Vieira de astro e do grande industrial, inolvidável José Florencio Soares!



O edifício dos Paços do Concelho, grave, pesado, e também templo da justiça, no postal, vibra intensamente na sua arquitectura sombria e respeitosa, em linhas impecáveis mostrando toda a sua beleza, toda a sua magnificancia.



A Avenida 5 de Outubro, ornada de tílias, a Avenida das Tilias, como deveria chamar-se, é duma formusura deslumbrante e atraente! Ao lado direito á entrada, o Hotel Central, à esquerda, o lindíssimo estabelecimento do sr. Bernardino Martins, casa da moda, frequentada pelas Damas da fina elite, ao fundo a Estação Ferro-Viaria!



O postal desta Estação é duma nitidez incomparável.




A linda estancia de Stº Ovidio, com a sua capela construída em 1870, sobre um outeiro onde foram encontradas moedas romanas, com o seu escadório largo e de ascenção, ladeado de arvoredo, é dum efeito deslumbrante na fotocopia.

Nesta veen-se os editores Alberico Silva double de jornalistas e engenheiro, Marques dos Reis, espreitando para longe, junto da sua maquina que fotografou as paisagens; os edifícios e s ruas, e sentado, um pouco acima, o contista Laurentino Matos, sempre creança, sempre infantil, num arrubamento mistico de sonhador…



O postal da Fabrica do Ferro de Tecidos e Fiação é duma verdade flagrante. Aninhada entre colinas parece querer levantar-se sobre o monte de S. Jorge Magno, aeroplanar ceos em fóra dizendo o quanto vale.



O edifício dos Bombeiros Voluntarios, á rua José Cardoso Vieira de Castro, é a soma de grandes sacrifícios, de grandes trabalhos, de grandes desgostos. O postal diz-nos bem que a Humanitaria Associação soube viver e vencer…



Rua Crisostomo e a egreja matriz, no postal, é um encanto. É uma pequena tela que diz muito. É o caminho da igreja onde passam os que vão casar, é o caminho dos que vão a enterrar. Ao fundo o cemitério. Para quem a egreja antiga, velha mas sempre a mesma igreja, onde muitos se casaram, onde muitos disseram a sua primeira missa!

Postal lindo! Um postal de recordações!

Vale bem a pena adquiri-los. A gente sente-se bem recordando o passado.

Vive-se de recordações!

De justiça é dizer, e aqui fica bem dize-lo, que aquella rua João Crisostomo se chama assim, mercê da louvável vontade do sr. José Teixeira Leite, que quis glorificar a memoria do grande e talentoso poeta João Crisostomo, de Moreira de Rei, de Fafe, que foi quem instituiu a Humanitaria Associação dos Bombeiros Voluntarios de Fafe.




O aspecto do mercado semanal, ás quartas-feiras, na Praça da Republica, é um postal digno de conservar-se.

Ali, há vida e realce!



O Hotel Central, Hotel Fafense e o Hotel Novais, ressaltam de verdade no postal tão habilmente colorido. O Hotel Central no centro da vila fazendo frente á Avenida 5 de Outubro e á Praça da Republica, é um edifício amplo, confortável, onde nada falta, onde tudo sobra!



O Hotel Fafense, próximo do jardim publico é como outro seu irmão, amplo, magestoso, onde tudo sobra e onde nada falta também.



O Hotel Novais, á entrada da Praça, é alto, bem situado e bom ponto. Um postal para touristes.



A feira do gado é típica e cheia de verdade e de graça. Um postal cheio de atractivo, de luz e de grandeza…

Estão neles, em ponto pequeno muitas dezenas de contos… se aqueles bois pudessem fugir do postal, o postal não valia nada!...



O mercado semanal na Praça da Republica é uma diminuta amostra do grande mercado ás quartas feiras de cada semana. Tendas… toldos…sacos… namoros… confidencias… melancias… cebolas… risos… politica… nada falta ali… é um postal lindo a valer…

Infelizmente, porque na Alemanha se estragaram as chapas fotográficas da Escola Primaria Superior, da Associação dos Bombeiros Voluntarios 24 de Julho, e outras, não puderam, como tencionavam, os editores exibi-las em postal… mas temos a promessa deles de que em breve esses postaes aparecerão…

E terminando, mais uma vez, por tão lindos trabalhos, abraçamos Albertino e Silva e Marques dos Reis, com um Bravo… muito bem!»



IN: jornal “PROGRESSO DE FAFE”. 2 de Abril de 1922














Sem comentários: