NAVEGUE PELO BLOGUE

10 de fevereiro de 2013

Cave de “Shopping” transformado em pólo cultural





Atelier de Arte acolhe Espaço da Memória

O Atelier do Professor J. J. Silva instalado recentemente na cave do edifício “Shopping” na Praça 25 de Abril, acolhe parte do numeroso espólio que constituí o “Espaço da Memória” afecto à Associação Atriumemoria. “Muitas das peças tivemos de guardá-las em outros locais, aguardando o tão esperado dia em que possam constituir um núcleo museológico, dignificando o espólio e a memória fafense”, desabafou J.J. Silva.
O exíguo espaço do Atelier, frequentado por mais de uma vintena de alunos de Artes Plásticas, ocupou, com o acordo do condomínio, o pátio inferior do espaço comercial, agora transformado em “pequeno Museu” que tem merecido a atenção e elogio dos lojistas e do púbico que entra no “shopiping”. Velhos utensílios representativos de uma ruralidade perdida e outras peças encontram-se ali expostos. O Atelier J.J. Silva e a Atriumemoria são parceiros em diversas actividades que têm desenvolvido, dentro e fora das fronteiras do concelho de Fafe. “Cultura em Movimento” é a designação de um conceito inovador que tem por objectivo principal levar a cultura ao encontro das pessoas. Centros comerciais, cafés, auditórios, entre outros espaços têm recebido esta actividade plural que conjuga Arte plástica, Musica, Poesia e Memória Colectiva através da mostra de peças museológicas. “A descentralização cultural é fundamental e está sempre presente nossas actividades, temos de ir ao encontro da população”, disse José Silva, Vice-Presidente da Atriumemoria e gestor do Atelier.



“Em 2012 realizámos várias edições do programa “Cultura em Movimento”, uma delas aconteceu na pastelaria “Sãozinha” nesta cidade. Com o êxito então alcançado não foi difícil convencer a gerência do estabelecimento para acolher uma galeria de Arte periodicamente renovada. Este é o primeiro dos núcleos culturais que pretendemos espalhar pelo concelho, visando contribuir activamente no processo democratizador da nossa cultura”, explicou J.J. Silva que lamenta a carência de apoios oficiais “que dificultam a realização das actividades preconizadas”.
O artista fafense J.J. Silva está há 16 anos ao serviço das Artes e da cultura fafense, criou um Atelier com ramificações em Guimarães, Cabeceiras de Basto, Famalicão, Arco do Baúlhe e Mondim de Basto por onde já passaram mais de 1.200 alunos.
 Amante do nosso Património abdicou de uma parte do espaço do seu acanhado Atelier para guardar testemunhos de uma memória colectiva que urge preservar e valorizar.
José Silva informou o NF que, em parceria com a Associação Atriumemoria, pretende transformar a cave do edifício “Shopping” num espaço vivo da cultura fafense através da realização de diversas actividades.









Sem comentários: