NAVEGUE PELO BLOGUE

25 de fevereiro de 2013

FORAL E PAÇOS DO CONCELHO CUMPREM CENTENÁRIOS

 

Há pouco mais e uma semana o executivo camarário mandou engalanar a fachada dos Paços do Concelho com dois grandes painéis alusivos a dois importantes marcos da história local: o 1º centenário dos Paços do Concelho e os 500 anos do Foral do antigo concelho de Monte Longo.

 

Paços do Concelho um edifício monárquico inaugurado pela República.
 

Em 1906 a Câmara deliberou mandar construir um “Edifício Público” junto à projectada avenida que uniria o Largo da Vila e a Estação de Caminho de Ferro, a actual Avenida 5 de Outubro.

O edifício albergaria a Câmara, o Tribunal e outras repartições públicas.

Em 1907 a Câmara, ainda a funcionar num velho imóvel no extremo Poente a actual Praça 25 de Abril, adjudicou a construção do edifício a Serafim Teixeira por 10.629$000, obra de cantaria; Manuel Vaz ganhou a obra de carpintaria pelo valor de 8.759$000 e a de caiador a Afonso da Silva por 3.777$500.

O processo de edificação foi lento. Tempos atribulados e a posterior queda do regime monárquico conduziram a que, só em 1913, os novos Paços do Concelho entrassem em funcionamento, acolhendo também o Tribunal e o Registo Civil.

Curiosamente não temos notícia de qualquer acto oficial de inauguração desta “Casa Pública”…

Durante 47 anos os Paços do Concelho da Av. 5 de Outubro albergaram vários serviços até ser alvo de profunda reforma nos anos 60 que alterou significativamente a fisionomia exterior e dimensionamento do interior.

Os Paços do Concelho do Estado Novo foram inaugurados em 18 de Novembro de 1966 com a presença do Ministro do Interior, Dr. Santos Júnior e Engenheiro Arantes de Oliveira, das Obras Públicas. O Arcebispo Primaz de Braga, D. Francisco Maria da Silva benzeu o edifício. António Alberto de Meireles Campos presidia então à Câmara Municipal de Fafe.

 

Vitral dos anos 60 evoca Foral de D. Manuel I

 

Quando entramos no edifício da Câmara Municipal, a meio da escadaria, deparamo-nos com um vitral da autoria do artista plástico Amândio Silva, representando símbolos da história local e cenas da ruralidade de antanho.

A figura central mostra o Rei D. Manuel I numa evocação ao Foral do Concelho de Monte Longo.

 

Em 2013 assinala-se o 5º centenário do Foral Manuelino outorgado em 5 de Novembro de 1513. Em cerca de vinte anos o «Rei Venturoso» mandou emitir perto de seis centenas de Forais em todo o país. Estes diplomas eram uma garantia de regalias e privilégios aos moradores de uma determinada parcela territorial, visando, sobretudo, chamar novos habitantes. Eram também “Cartas Fiscais” fixando tributos a pagar e taxar os produtos. Os Forais Manuelinos visaram estabelecer a uniformidade tributária do país quinhentista.

Lembre-se que o Foral Manuelino é o único outorgado a Fafe, desde sempre foi cabeça do desaparecido concelho de Monte Longo.

Fafe assinala assim, em 2013, dois importantes aniversários históricos que merecem a atenção do Município e dos fafenses em geral.

 
 
 

 

 


Sem comentários: