NAVEGUE PELO BLOGUE

6 de março de 2014

CASA E CAPELA DO PORTO UM PATRIMÓNIO AMEAÇADO




Em Santo Ovídio, próximo da Rua Cidade de Guimarães, existe o lugar de Paço, um sítio muito antigo, repleto de história, outrora residência fidalga. No lugar, existem ainda, as ruínas da antiga Casa do Porto. Uma data inscrita numa das paredes, 1710, remete-nos para os inícios do século XVIII.
Anexa à Casa do Porto, encontramos a capela particular do Senhor do Porto; um pequeno templo, também. Há muito arruinado que, segundo informação do caseiro local tem a data de “1713” gravada na base da cruz que encimava a fachada.









Entrámos no interior da exígua capela, construída em granito, aparentemente extraído nas proximidades e observámos o seu modesto altar em arco de volta perfeita que, em tempos, acolheu a imagem do Senhor do Porto. No piso, junto à entrada principal, vemos uma antiga sepultura “profanada”, lembrando-nos a possibilidade de outrora ali ter sido sepultado um antigo senhor da Casa do Porto…




A orientação do templo, com a sua frente voltada para a extinta linha de comboio, sugere-nos a existência de um antigo caminho que, supostamente, ligava o Paço a terras de Cepães e, para norte à Vila de Santa Eulália antiga (Fafe).






A casa e capela do Porto é hoje um sítio abandonado, esquecido, um rico património setecentista que virou costas ao progresso, envergonhado da sua triste condição…


Fotos: Fevereiro de 2014

Sem comentários: