NAVEGUE PELO BLOGUE

10 de fevereiro de 2018

O NOME DE FAFE NÃO DERIVA DA PEQUENA AVE DOM-FAFE



Tem-se, ao longo de muitos anos, disseminado a ideia que o nome Fafe, conhecido desde, pelo menos, meados do século XVII, tem origem na designação popular Dom-Fafe, um vistoso pássaro que é avistado por toda a Europa.

Folheando a 1ª edição (1931) do “Catálogo Sistemático e Analítico das Aves de Portugal”, da autoria do competente ornitólogo J.A. Reis Júnior, li atentamente o capítulo dedicado à espécie Pyrrhula pyrrhula, uma pequena ave vulgarmente conhecida por Pisco-chilreiro, Pimpalhão da India, Tentilhão da India, Cardeal, e ainda Dom-Fafe, mas esta ultima designação surgiu apenas em 1862, altura em que o “sábio Professor Dr. J. V. Barbosa Du Bucage, publicou as suas «Instruções Práticas Sobre o Modo de Coligir, Preparar e Remeter Produtos zoológicos para o Museu de Lisboa», onde inseriu uma lista de aves portuguesas, é que ele (Dom-Fafe) aparece pela primeira vez entre os nomes vulgares das aves portuguesas”, refere Reis Junior que refuta a antiguidade do nome Dom-Fafe, afirmando que “o nome Dom-Fafe, que nunca nos foi possível de recolher do povo que habita simultaneamente os mesmos sítios que o pássaro habita, só temos ouvido, em regra aos passarinheiros e nos mercados; o que nos faz lembrar que a adaptação do nome alemão “dompfaff” ao português deve ter sido uma resultante da divulgação da obra de Brehm (1861) em Portugal e que seu aparecimento entre os nomes vulgares das aves portuguesas não deve ir além do meado do século dezanove”.

Consultados os melhores dicionários em linha, buscando a palavra Dom-Fafe, invariavelmente, é referida a derivação do alemão, Dompfaff.

É minha convicção que a origem do nome da Vila de Fafe não tem nada a ver com nome popular de um pássaro… até porque nunca acreditei que a secular paróquia de Santa Eulália Antiga do nobre concelho de Monte Longo tomasse a designação de uma simples ave, apesar de vistosa.

Para mim, esta “analogia” não passa de um mito que, infelizmente foi e continuará a ser divulgada por especialistas e leigos, porque é muito mais fácil continuar a escrever o já foi dito erradamente antes, do que fazer um trabalho aturado de investigação sobre a verdadeira origem da designação Fafe.

Quanto a outra hipótese de alguns investigadores ligarem o nobre D. Fafes Luz à designação desta cidade e concelho, um dia destes abordaremos o assunto.

FONTES:

Catálogo Sistemático e Analítico das Aves de Portugal (1ª edição, 1931)
Por J.A. Reis Junior

Dicionários em linha na Internet (vários)




Sem comentários: