NAVEGUE PELO BLOGUE

23 de abril de 2018

ANTÓNIO MARQUES MENDES UM PRESIDENTE DA TRANSIÇÃO

António Marques Mendes
Reprodução do Almanaque Ilustrado de Fafe, 1974

A desempenhar funções de Presidente da Câmara Municipal de Fafe desde 12 de Julho de 1973, António Marques Mendes, conhecido e estimado advogado em Fafe desde 1960, assistiu, com agrado, à queda do Estado Novo.
Não obstante a simpatia que conquistou junto da maioria dos fafenses, como homem íntegro, profissional de excelência, que resultou em uma nomeação consensual como líder do Município de Fafe, Marques Mendes apresentou a sua demissão do cargo de Presidente de Câmara em 7 de Maio de 1974, por via de uma carta remetida ao representante da Junta de Salvação Nacional de Braga.


Reprodução do "Almanaque Ilustrado de Fafe", 1974


“Aceitei executar o cargo apenas com o espírito de servir, o melhor possível, o meu Concelho e a sua população, participando desse modo na vida da comunidade que é de todos e para todos, como publicamente o afirmei, embora com grandes prejuízos para a minha vida profissional e para a minha própria saúde”. Escreveu António Marques Mendes que, na mesma carta refere: “No acto da minha posse tive o grande prazer de sentir que a minha nomeação para o cargo teve o significado de uma verdadeira eleição, o que me deu a consolação de ter acedido aos desejos da maioria.
Porem, surgiu agora o momento, há tanto ansiado, de ser possível uma participação tão efectiva quão necessária de todos os portugueses na vida política do País, através dos indispensáveis processos democráticos.”

Mais adiante, no seu escrito, o chefe da edilidade fafense justifica o seu pedido de demissão enunciando: “Não o faço por solidariedade para com o regime deposto, nem para com os seus sequazes, pois sinto na alma a alegria dos vencedores e nunca a tristeza, inconformismo ou adaptação dos vencidos, nem o faço por desejar furtar-me a servir, pois agora mais que nunca seria capaz de negar à Pátria o meu modesto contributo. Mas faço-o porque pretendo que quem de direito, pelos processos que forem tidos por mais convenientes e legítimos, proceda, com plena liberdade de acção à adopção da solução que mais convenha ao interesse do Concelho e da Nação, e a minha permanência no cargo não será neste momento a solução que mais convém.”


Reprodução do "Almanaque Ilustrado de Fafe", 1974


Durante 11 meses, António Marques Mendes desempenhou o cargo de Presidente da Câmara Municipal de Fafe, em período conturbado de mudança política.
António Marques Mendes foi o Presidente da transição dos últimos meses do regime deposto até ao primeiro Maio da Democracia.

Fonte: Jornal “O Desforço” e “Almanaque Ilustrado de Fafe”





Sem comentários: